Revista Eletrönica Null / EMagazine Null

A Revista com a escrita certa do Brasil e do Mundo para bons leitores brasileiros e estrangeiros. / Die Zeitschrift schriftlich mit einigen von Brasilien und der ganzen Welt für gute Leser Brasilianer und Ausländer.

Entrevista com o Professor Aurélio P. Vianna do Instituto de Educação Física da (UFF) que promove projeto de inclusão social: Natação Adaptada para crianças com deficiência.

O Professor de Educação Física Aurélio Pitanga Vianna foi entrevistado no dia 24 de abril de 2012 para contar a respeito do projeto que tem sido feito no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense (UFF). A coordenação do projeto tem como missão fazer a inclusão social das crianças com deficiência, além de abrir o espaço para melhorar o aspecto físico da criança com os trabalhos realizados no Parque Aquático do instituto.
O Professor Aurélio Pitanga Vianna é professor no Instituto de Educação Física, e coordena o projeto de Atividade Motora para Crianças com Deficiência: Natação em foco.  Outros professores que estão envolvidos no projeto são: O Prof. Luís Tadeu e o Prof. José Eduardo Siqueira que também faz parte do projeto. Além de bolsistas, acadêmicos de licenciatura e alunos de psicologia.
O projeto foi iniciado em 2011, no ano passado e prossegue para este ano também. O instituto possui a estrutura básica para atendimento e conta com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) e Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAIS), pela coordenadora Lucília Machado. E no momento, participam oito crianças. “Nós temos a nossa estrutura básica. A aula possui algumas especificidades. Nós precisamos ter um mínimo de alunos e professores para poder dar suporte e poder dar toda a segurança as crianças devido a dificuldade de movimentação que a criança possui. Mas na água tem um fator positivo que é o fato de que elas podem ficar soltas. E com isso, podem se exercitar.”, explica o coordenador do projeto.


O projeto foi criado para atender crianças com deficiências, em qualquer tipo de deficiência. “Temos crianças com paralisia cerebral, crianças com dificuldade motora e outros casos. Nossa intenção é dar a aula de natação com a possibilidade desse aluno ganhar mais movimento, isto é, movimentar a musculatura. Junto a isso, fazer a inclusão social com os outros alunos e outros pais. O objetivo do projeto é promover a inclusão social. “, afirma Aurélio P. Vianna.
A partir do momento que a criança chega na Universidade Federal Fluminense, paralelamente, os pais são encaminhados para trabalho na sala de aula com os alunos de psicologia, que desenvolvem um projeto para atender uma pesquisa com os pais e crianças com deficiência. Os pais estão sempre presentes para a criança ter mobilidade no instituto, visto que para se locomoverem é muito difícil. Por isso é necessário o acompanhamento dos pais para poder conduzi-los.


Segundo Aurélio que coordena o projeto Natação para Crianças com Deficiência, o acompanhamento é feito através de uma pesquisa e estudos de acompanhamento das crianças desenvolvidos durante as aulas na piscina. E é feito um trabalho com os pais que são os responsáveis dos alunos. “Nós conversamos com os pais que são os responsáveis, e eles nos afirmam que a criança possui uma melhora significativa no dia a dia. Comem melhor e dormem melhor. E percebemos que os alunos participam com prazer. Isto é demonstrado claramente nas aulas. Então vemos que é um projeto que tem sido importante para essas crianças e adolescentes, pois o foco é a questão da inclusão e ainda o atendimento aos pais. É através desse projeto que nós conhecemos o que esses pais passam com os alunos, e pensamos que a sociedade não está estruturada para trabalhar com a inclusão/ inserção social do deficiente, seja qualquer que seja a área: Na escola, no esporte e em casa. Enfim, precisamos avançar nisso, e atender com todos os direitos necessários a essas crianças.”, frisa Aurélio, professor do instituto.
A inscrição atende qualquer aluno com qualquer tipo de deficiência. A prioridade é para a criança pela dificuldade de locomoção. O instituto ainda não possui rampa para acesso a deficientes. No entanto, todos os blocos estão com o acesso, e provavelmente, o instituto terá também.
O projeto acontece anualmente, e o limite de vagas até o momento é de oito para que os alunos possam ser atendidos com qualidade.

  • Inscrição

A inscrição é feita pela coordenação, na secretaria do instituto de Ed. Física Instituto de Educação Física. (Campus Esportivo do Gragoatá  Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Rei (UFFÃO)  São Domingos – Niterói – RJ). O pai deve trazer um laudo médico e as informações da criança. A criança passa por uma entrevista e faz uma aula prática antes de começar. As aulas acontecem nas quartas e sextas-feiras de 13h às 14h, sendo que na sexta-feira é de 12h30m às 14h.
CONTATOS: Tel: (21) 2629-2810, site;  http://www.uff.br/gef/
LOCAL: Piscina do Instituto de Educação Física. (Campus Esportivo do Gragoatá  Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Rei (UFFÃO)  São Domingos – Niterói – RJ)

Entrevista: Cláudio Barbosa
Texto: Cláudio Barbosa
Fotos: Prof. Aurélio P. Vianna

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Principais acessados

  • Nenhum

Revista Eletrönica Null

Revista Eletrönica Null

Digite seu e-mail para receber notificações em seu correio eletrônico.

Junte-se a 126 outros seguidores

Sally's Serenity Spot

My Spiritual Journey

The WordPress.com Blog

The latest news on WordPress.com and the WordPress community.

%d blogueiros gostam disto: